AGENTES DE SÁUDE QUE COMBATEM A DENGUE EM CAPIM GROSSO PARARAM NESTA SEGUNDA-FEIRA

28/02/2011 22:56

Os Agentes Municipais de Saúde de Capim Grosso, que trabalham no combate a Dengue, paralisaram suas atividades nesta segunda-feira (28), por 24 horas, com o objetivo de chamar à atenção das autoridades competentes para a situação que vive a categoria. Segundo o representante dos servidores, Cícero André, as reivindicações são as seguintes: pagamento de adicional de periculosidade, regulamentação da função agente de endemias, reajuste salarial compatível com a função, pagamento de terço de férias, efetivação dos servidores que prestam serviço no combate a Dengue, equipamento de proteção individual, material para trabalho no campo e fardamento completo.


 

 

No período da tarde, os trabalhadores se reuniram com o presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Capim Grosso, Marcio Vilas Boas e da advogada Drª Kessia Roseane C. Gil, para tratarem da condução do problema. Drª Kessia sugeriu que foi dada entrada com um processo na justiça com as reivindicações da categoria, sem abandonar o diálogo com o poder público, o presidente informou que em conversa com o Secretário de Saúde Dr; Ivonildo Dourado, sobre através do mesmo que será criada uma comissão composta por representantes do Sindicato, MP, Câmara dos Vereadores, Conselho de Saúde e da Secretaria de Saúde, com a finalidade de avaliar a regulamentação da função Agente de Endemias. Ainda na reunião o ex-coordenador Bruno, que recentemente entregou o cargo, por não concordar como o Secretário de Saúde, divulgou que os calçados que fazem parte do fardamento dos agentes serão distribuídos na próxima sexta-feira (04), sendo que o restante do fardamento será distribuído em no máximo 15 dias.


 

 

Nesta terça-feira todos agentes de saúde retornarão normalmente ao serviço, o representante da categoria, Cícero André disse que está aberto ao diálogo e que a categoria espera a reunião que foi marcada com a prefeita Drª Lydia Pinheiro, para quarta-feira (02), para que sejam tomadas as posições necessárias para o bem estar dos agentes.

 

No município recentemente foi comprovado, através de exame, que a Professora Teonide de Santana, contraiu o vírus e a doença, e passou aproximadamente 15 dias de cama, outros casos vem sendo registrados bem como varias suspeitas, então se houver realmente um estado de Greve por parte dos trabalhadores, como ameaçam fazer, caso suas reivindicações não sejam atendidas, será um casos para os habitantes do município, pois a cada dia que passa os insetos se proliferam aumentando o risco de contrair a doença.

Assista entrevista com Cícero


 

jorgequixabeira.com


www.teomaria.com